Avaliação do Kindle Voyage

No final do ano passado, eu tive a oportunidade de testar por vários dias um Kindle Voyage, o e-reader top de linha da Amazon. Eu fiz alguns vídeos com ele, como o vídeo onde eu o mostro lado a lado com um Kindle Paperwhite, mas ainda não tinha tido tempo de editar um vídeo só com ele, e nem de escrever sobre minhas impressões dele. Mas agora chegou a hora. Vamos então conhecer um pouco mais sobre o Kindle Voyage.

Características

O Kindle Voyage chegou ao Brasil no ano passado. Quando foi lançado nos Estados Unidos, ele era o único modelo com tela de alta resolução, mas quando chegou ao Brasil, ele chegou junto com o Novo Kindle Paperwhite, que também passou a incorporar a mesma tecnologia.

No entanto, o Kindle Voyage ainda tem algumas exclusividades, como a tela em si, que não tem uma moldura separada como nos demais modelos (a moldura é uma peça única com a tela); o PagePress, que é uma tecnologia que permite o avanço ou retrocesso de páginas do ebook com um leve aperto em um local marcado na moldura; iluminação automática, que ajusta automaticamente o brilho da tela de acordo com a iluminação do local onde você está.

Vamos então aos detalhes técnicos deste modelo:

Tela Tela de 6″ com tecnologia “Carta e-paper” e iluminação que se ajusta automaticamente, 300 ppi, escala com 16 níveis de cinza
Dimensões 16,2 x 11,5 x 0,76 cm
Peso 180 gramas
Interface Tela sensível ao toque + PagePress
Armazenamento 4 GB
Tempo de Bateria Uma única carga dura até um mês com a função wireless desligada, baseando-se em uma leitura diária de 1/2 hora
Conectividade Suporta Wi-Fi b/g/n e protocolos de segurança WEP, WPA, e WPA2 utilizando autenticação de senha ou Wi-Fi Protected Setup (WPS)
Porta USB USB 2.0 (conector micro-B)
Preço nos EUA US$ 219,99 (sem special offers)
Preço no Brasil R$ 899,00

Quer ter uma ideia de como estas características se comparam a outros e-readers? Leia o comparativo que eu preparei sobre os e-readers atualmente vendidos no Brasil. Veja também mais informações sobre os modelos de Kindle atualmente disponíveis na Amazon no Brasil.

Primeira impressão

Quero lembrá-lo, antes de entrar nos detalhes da minha experiência com este e-reader, que o Kindle que eu possuía na época era o Kindle Keyboard 3G, que não tem tela de toque, mas tem os botões de navegação e um teclado físico (para você ter uma ideia de qual é a minha referência para falar sobre este Kindle).

Quando eu recebi o Kindle Voyage para testar, eu também recebi o Novo Kindle Paperwhite (final de 2015). Até então, eu achava que não deveria haver tanta diferença assim entre os dois, já que o Novo Kindle Paperwhite também tem a tela de alta resolução, que é o carro-chefe do Voyage. Mas confesso que, com os dois à minha disposição, eu acabei dando pouca atenção ao Paperwhite, fiquei lendo só no Voyage mesmo.

Note que não estou dizendo com isso que o Paperwhite não é bom, muito pelo contrário. No final do ano passado eu comprei um Paperwhite para mim. Mas se eu tivesse recursos, sem sombra de dúvida eu teria comprado um Voyage.

Vamos então aos detalhes do que eu mais gostei neste Kindle…

Lendo no Kindle Voyage

A qualidade da tela de alta resolução me chamou muito a atenção logo no primeiro contato. E como ele é mais leve que o meu Kindle Keyboard, isso já fez com que a leitura me parecesse muito mais agradável nele. Eu não tinha percebido de início, mas a tela sem a borda separada (veja isso melhor no vídeo abaixo) me pareceu bem mais agradável de manusear.

Além disso, ele é leve, a traseira dele emborrachada é muito boa de manusear. O botão liga/desliga dele fica na parte de trás (ao invés de na parte de baixo). Eu achei muito melhor para usar, e como ele é maior, ele é fácil de achar sem precisar virar o Kindle para encontrá-lo.

Como o meu Kindle Keyboard tem os botões de navegação (para avançar e retroceder as páginas), eu gostei muito de encontrar um recurso similar no Voyage, que é o PagePress. Eu não gosto de mudar as páginas com toques na tela, e sinto falta de botões físicos no meu Paperwhite.

Por outro lado, não precisava fazer uma tecnologia tão complexa quanto a do PagePress. Por mim, a Amazon poderia ter colocado botões normais na lateral do dispositivo, como era no Kindle Keyboard, já estaria ótimo (e seria mais barato). Mas parece que hoje em dia botões físicos não são bem-vistos, infelizmente. Mas no caso de e-readers, eles são muito mais práticos, na minha opinião.

Outra coisa que me chamou a atenção, com relação ao PagePress é que, como eles não são botões físicos, eu não conseguia encontrá-los quando eu lia a noite, no quarto escuro. A iluminação da tela me permite ler o texto sem problema algum. Mas como o botão não é físico, não há nenhuma saliência ou marca para eu encontrá-lo através do tato. Ou seja, se eu passar o dedo na moldura, eu não sinto nenhuma marcação que indique o local onde devo pressionar a moldura para passar a página.

É claro que isso não me impede de ler, pois eu posso tocar na tela, como é no Paperwhite. Além disso, depois de um tempo lendo, eu me acostumei onde posicionar o dedo e consegui usar o PagePress no escuro. Portanto, não chega a ser um problema, mas é algo que me chamou a atenção.

Outro recurso que eu gostei muito foi a iluminação automática. Este recurso melhora muito a experiência geral de leitura no Kindle Voyage, pois onde quer que você esteja, ele “se vira” para ajustar o brilho da tela. Pode parecer que não, mas depois que você usa este recurso, você vê como ele é útil. Depois de usá-lo no Voyage, eu gostaria muito de vê-lo no meu Paperwhite (mas eu sei que não é possível, pelo menos não neste modelo que eu tenho, pois ele não tem o dispositivo que reconhece a iluminação ambiente).

Enfim, o único porém que eu tenho com este modelo é o preço. Afinal, não é qualquer um que pode desembolsar R$899,00 em um e-reader. Mas comparando com os US$219,99 da loja americana, em tempos de dólar passando dos R$4,00, a gente vê que ainda assim vale mais a pena comprar o Voyage aqui no Brasil do que trazê-lo dos Estados Unidos (principalmente pelo fato de poder parcelar este valor em cartão de crédito aqui na loja brasileira).

Veja você mesmo

Para mostrar para você um pouco melhor como é o Kindle Voyage, eu gravei o seguinte vídeo, que está disponível no canal do YouTube do Vida Sem Papel:

Conclusão

O Kindle Voyage é, na minha opinião, um excelente e-reader. Eu ainda não tive a oportunidade de testar os e-readers top de linha da Kobo, portanto não tenho parâmetros para compará-los, para dizer se ele é melhor do que a concorrência.

Eu gostei muito das novidades, principalmente do PagePress e da iluminação automática, e de forma geral é muito agradável ler neste Kindle.

Como eu disse, o único porém para mim é o preço, mas se a pessoa pode pagar, na minha opinião ele vale a pena.

A Amazon Brasil gentilmente emprestou o Kindle Voyage (e também o Novo Kindle Paperwhite) para eu fazer minha avaliação, e quero expressar meu agradecimento por isso. Eu quero também deixar claro que tudo o que eu escrevi neste artigo é minha opinião honesta, e que o empréstimo deste dispositivo não foi condicionado de forma alguma ao conteúdo de minha análise.

Autor: Cristiane Ferreira

Cristiane Ferreira trabalha há 24 anos com Tecnologia da Informação, principalmente na área de Internet. Ela curte tecnologia e gosta muito de escrever, e também gosta de ajudar as pessoas a navegar no mundo dos eletrônicos e Internet.

Compartilhe este artigo no

12 Comentários

  1. Olá. Tenho um Kindle paperwhite com um ano e vários meses de uso, porem, está muito novo, mas, do nada, ele pagou de funcionar. Não sai da teta de descanso. Já tentei reiniciar mas sem sucesso. Alguém já passou por isso e soube reverte a situação?

    Envie uma resposta
    • Geelll, faça um restart no dispositivo. Para isso, pressione o botão liga/desliga e mantenha-o pressionado por cerca de 40 segundos. Ele desligará por completo o dispositivo e o ligará depois. Veja se com isso o problema é resolvido. Se não for, entre em contato com a Amazon, pois pode ser um defeito. Mesmo se estiver fora da garantia, entre em contato assim mesmo. Eu conheço vários leitores que tiveram seus Kindles trocados mesmo após o fim do período legal da garantia.
      Abraços e feliz 2017!

      Envie uma resposta
  2. Achei interessante partilhar isto com vocês. Descobri um celular com duas faces. Dois ecrãs. Um deles é Android e o outro com a tecnologia para leitura. https://yotaphone.com/pt-en/

    Uma solução para quem não se incomoda com telas inferiores a 6″.

    Envie uma resposta
  3. Olá Cris, tudo bem?
    Tenho uma dúvida na verdade sobre uma pesquisa que estou fazendo. Você sabe me informar se o kindle vendido na europa funciona no Brasil?

    Envie uma resposta
    • Funciona sim, o meu veio da Alemanha e foi só atualizar o idioma para português Brasil. Pode comprar sem problemas:)

      Envie uma resposta
  4. Então, eu tenho um kobo básico, porém eu assinei o kindle unlimited (por causa dos livro da cosac naif) e passei a usar mais o tablet. Decidi comprar o kindle, mas não tive coragem de comprar sequer o paperwhite. Eu acho caro, e no fim das contas você considera que ler no escuro não é uma prioridade. Ainda acho que os 500 reais (paperwhite) ou 800 reais (voyage) estão fora da realidade de muitos. Sem falar do Oasis… que é um caso a parte… uma pena.

    Envie uma resposta
  5. De 24-29/03 alguns dos meus livros estão disponíveis para baixar de graça. Basta se cadastrar na Amazon.com.br e baixar a Desktop para PC ou o aplicativo para Smart/Tablet. Ou quem tem Kindle baixar para seu e-reader. Ebooks Free. http://migre.me/tkuzK

    Envie uma resposta
  6. O Kindle Voyage é um sonho de consumo meu, seria ainda mais perfeito se tivesse uma versão 3G. Adoro acompanhar seus artigos, Cris. Forte Abraço!

    Alexandre

    Envie uma resposta
  7. Oi Cris, também uso o Voyage e gosto muito. Também acho q o botão page press poderia ter iluminação no escuro.
    A iluminação automática é impressionante, um diferencial incrível, assim como a tela.

    Envie uma resposta
    • Olá Levi, tenho dois e-readers Lev Saraiva e Kindle Voyage. Entre eles posso afirmar que o Kindle voyage tem uma rápida resposta para digitar na tela, quase como o celular touchscreen.

      Envie uma resposta

Participe e faça seu comentário